Este blog contém alguns poemas publicados na Agenda da Semana do site Cultura Pará.
www.culturapara.art.br

31 de mar de 2010


anjo cego da expiação
ele estava esperando
em silêncio esperando
entregava-se ao que criava
um livro sem título
o dorso amargo de uma fruta
em que se via o mastro
eriçadas palavras talvez sem rumo
provocadas a entrar na nave
                                        [no livro
não mais de ferro vestido
nem de eternos pergaminhos
                                        mas construído no ar
para a viagem do mito & o mistério dos horizontes
folhas de bizarra flor negra
expostas a uma tempestade que se multiplica na memória

propagada até a última noite
a um limiar interdito
                           o fim a fenda o nada
última voz seguida ainda de uma outra
o verbo dissolve todos os elos
                                         a estepe o verso a ravina
açoitados pelo vento
borboletas ziguezagueando no alto
                                                 tuas palavras aéreas
minúsculos demônios vermelhos
avançando crescendo
                             movendo-se
com a precisão dos planetas
                                       & depois
quebrando-se
                   perdidos & abismados fragmentos
emissários alados da morte


        Ney Ferraz Paiva,
              do livro "nave do nada", 2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário