Este blog contém alguns poemas publicados na Agenda da Semana do site Cultura Pará.
www.culturapara.art.br

21 de fev de 2010

Acácio de Capadócia

Transmutação dos elementos passagens.
Alterações de estado, estações do espírito.
Mudanças do corpo. Metamorfoses da carne.
Fênix da matéria.

A idade da Terra. Pedra filosofal.
Celebrações alquímicas: “Operações de feitiçaria”
(como Argan resumiu Picasso).
Mantas imantadas de mágica multiplicam-se
tantas: mantras, tantras...
Transcendências.

Lava incandescente vertendo do vulcão do mago: magma
Cadinho/caldeirão: fundição, fusão, fissão, liquefação.
Metais, minerais, motores, corações e mentes mutantes.
Solidificação, combustão, evaporação. Sublimação.
Moto-continuo. Moto-perpétuo.

Estados d’alma. Substâncias instáveis.
Instâncias voláteis. Instalações no vácuo.
Campos magnéticos. Poeira-pigmento interestrelar. Pinturas de plasma.
Despojos cartesianos. Descartes: “O Tirador de Espinho”.
Descurtumes: couro de cobra,
descobrindo-se, desdobrando-se, descarnando-se.
Obra engolindo cobra, apropriando-se do espaço,
apoderando-se do tempo.
Coral descolorida. Cascavel desvelada. La Naja Desnuda.

Multiprocessador da matéria. Translações de tempo e espaço.
Buracos-negros engolindo luz,
aspirando nosso frágil pó para outras dimensões.
Tempestades solares cozinhando a cera: Encáustica Cósmica.

Matéria esotérica. Etérea.
Maetérea.
Mater Matéria.

Gênese: O sopro divino da criação - Curtição
Curtume.

Curtir a memória do couro. Lavrar o ouro dos ícones.
Escarnar as estampas, escaneá-las.
Plasmá-las, arando, riscando, rasgando, tatuando, escarificando o papel
e recontando a Historia da Arte. Anti-Arte.Anti-Matéria.

Refaz o percurso: “não tenho tempo a perder”.
Tempo circular.Espaço esférico.
A Revolução das Espécies. A Evolução dos Acácios.
Re-ciclo: sobre as imagens imantadas o artista arrisca seu Renascimento.


Jorge Eiró
Publicado no livro: Escritura Exposta, 2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário