Este blog contém alguns poemas publicados na Agenda da Semana do site Cultura Pará.
www.culturapara.art.br

22 de fev de 2010

G:


Já faz tempo,
amada,
que navegamos aos becos do sol.
Neles não hasteávamos flâmulas
não se mostravam bússolas
e nem existíamos,
havíamos.

o sonho dos arcanjos e
o beijo dos namorados
viam Teseu nos labirintos do som.

Mas o que fazer se Clio é infeliz?
O que dizer das linhas
- vias ­-
que se plantam às mãos?

O meu-teu luar via vícios de violinos

Amar é verbo,
gerúndio passivo
de infinitivos atos

Por isso,
Ariadna,
acasalamos nossas bocas,
o laço que o ímã atrai,
nos labirintos do sol.

Paulo Nunes,
do livro “Ou: poemas não são linguagens”

Nenhum comentário:

Postar um comentário